conceptnova

Helping you to bring your concepts and ideas to life.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Retrospectiva 2009 - Blog do Jeco

Galera, mais um período de 365 dias está findando e começamos a criar novas expectativas com o ano que está por vir. Mas antes que 2009 se encerre, pretendo fazer uma retrospectiva do que aconteceu por aqui e fazer algumas indicações.

Eu poderia dizer que Blog do Jeco começou 2009 de forma displicente, sem nenhum objetivo traçado, um tanto avacalhado.Mas eis que conheci o blog do Gutt e da Ariane e foi a partir daquele momento que eu comecei a perceber que eu não entrei neste meio para passar despercebido. Tirei motivações dos inúmeros posts deles e passei a desenvolver os meus, mesmo não obtendo êxitos em alguns.

Até este momento foram 37 postagens; 106 segudores e 1008 comentários; uma tarefa árdua e cansativa que, às vezes, cheguei a me perguntar se valia à pena cada tempinho que eu passava digitando nesta caixa de texto. Hoje, eu posso dizer que valeu e continua valendo.

No decorrer do ano fiz descobertas de novos blogs e abri minha mente para outros assuntos, dos quais não tenho muita afinidade. Eu não poderia deixar mencionar que peguei inúmeros CALOTES nas comunidades de divulgação e isso me deu nos nervos - ossos do ofício..rs

Fiz amizades com a Kikinhah do Páginas On-Line, com a Stella do Scrummiest, com o Wagner do Belenâmbulo e outros não menos importantes. Ganhei o concurso melhor Blog Paraense 2009, Prêmio Juvêncio Arruda, e posso afirmar que isso consolidou os meus esforços. Agradeço cada comentário criticando e elogiando, afinal estou aqui para aprender com todos.

 Não faço este blog sozinho. Por mais que não pareça, o faço juntamente de vocês. Eu sou apenas um escravo dos anseios e das vontades da blogosfera.

Antes de dar por encerrado, quero fazer uma listinha de blogs que merecem um clique:

Os Doutores da Lei - criado por mim e feito juntamente com a Eloísa, Anderson e Frank;

Trânsito Caótico de Belém -  " blog é direcionado à simples divulgação de todas as canalhices que vemos no trânsito de nossa cidade";
 Nerdezas Aleatórias -  o blog da Jana e da Kah;
Meg Barros - blog da apresentadora do Programa Atitude, feito para mostrar as condições subalternas que algumas pessoas vivem em Belém e que serve de voz aos excluídos;
 Mulherices - o blog das gatinhas Kamila, Vanessa Pinho e Stella Benevides (???);
O Epitáfio - Palavras que sufocam - "Feito sobre um vivo como se se tratasse de um morto";
 e
Theatro de Palavras - feito pela Tai do Nascimento, a paraoara que externa tu que sente e ver.


Uma curiosidade: 

no 2 DE MARÇO, data do meu aniversário

O presidente de Guiné-Bissau, João Bernardo Vieira, é assassinado por um grupo de soldados após a morte no domingo do chefe do Estado-Maior do Exército, general Tagmé Na Wai, em um atentado com explosivos.


E era apenas isso que eu tinha para falar. 2009 foi bom, porém façamos um 2010 melhor. 

Boas festas.

Abraços..






segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

......meu Brasil brasileiro

Tenho quase certeza que os amigos leitores deste blog já perceberam que gosto de fazer uso de Imagens
durante os meus posts. Desta vez, vou lhes apresentar o MAPA do JEITINHO brasileiro.

Se tu acha que é uma imagem absurda e não convém com a realidade, deixe seu comentário ao fim do tópico.
E se tu acha que é algo notório neste país, "meta o pau" também.




Abraços.....

sábado, 12 de dezembro de 2009

Noite de premiação do Concurso Melhor Blog Paraense 2009 - GANHEI

 Foi realizada nesta quinta-feira, no auditório da Universidade da Amazônia -Unama-  a entrega dos
prêmios aos vencedores do concurso que elegeu os melhores blogs do Pará.




A idéia do concurso partiu da Comunidade Blogueiros Paraenses, onde eles viram a necessidade da "criação de um espaço centralizador que pudesse reunir todos os blogueiros do estado. Desta forma a produção de conteúdo a partir de blogs do Pará seria notória para os conterrâneos, bem como funcionaria como ponto de referência para quem quisesse conhecer e/ou estudar a realidade dos blogs feitos por paraenses".

O concurso foi dividido por categorias, são elas:

Ficção: Blogs que se destinam à criação ou invenção de fatos imaginários e fantasiosos em seus posts.

Humor:  Blogs de conteúdo cômico, com propósito à diversão.

Opinião: Blogs cujo conteúdo faz juízo ou crítica a determinado tema; conteúdo reflexivo, com defesa
de idéias próprias.


Revelação: Blog que tenha existência de até 3 meses e que se enquadre ou não nas categorias descritas acima.

Juvêncio de Arruda: Blogs que serão avaliados por um Júri específico.

Prêmio Blog Star: o blog que obtiver a maior votação popular no portal www.blogueirosparaenses.com.



O Blog do Jeco estava concorrendo na Categoria Opinião, juntamente com outros blog com conteúdos ótimos e de muita visibilidade no estado.
Acabei perdendo nesta categoria, mas quando achei que tudo estava perdido, eis que sou agraciado com o Prêmio Juvêncio Arruda. Peguei um susto quando ouvi meu nome, olhei todo desconfiado para saber se era comigo mesmo - e era.

Aquele semblante de trsiteza por não se encontrar entre os 3 finalistas da Categoria Opinião sumiu do
meu rosto e foi uma alegria "geral"; eu era a minha própria torrcida..rs

Saí da premiação todo garboso e contente. Acho que quem me olhava na rua achava que algo tinha acontecido comigo, só que elas não sabiam que tinha acontecido algo grandioso naquela noite.

Eu não ganhei, foi a comunidade blogueiros que saiu fortalecida:

Todos os vencedores estão de parabéns, mas os blogueiros paraenses é que vão poder se beneficiar de tudo isso. Ano que vem, os organizadores pretendem realizar outra vez este concurso e esperam contar com um maior número de blogs participantes. Vamos fazer dessa ferramenta um meio democrático de comunicação, em um estado onde, às vezes, somos calados e subjulgados a interesses de alguns grupos.


 E vamos aos vencedores por categoria:

Ficção:
Blog da Luly 




Humor:
 Lorotas da Doca, um blog do barulho criando altas confusões
 



Opinião:
100Grana - Cultura Pop para Lisos





Revelação:
Ruminantes - Ruminandos pensamentos




 
Blog Star:

Lu Brasil 



 




Abraços...



 

sábado, 5 de dezembro de 2009

Sessão de sábado - Parte II

Depois de ter dado início a uma série que tem como intuito mostrar as belezas
do Pará, a Sessão do sábado está de volta, dessa vez como mais uma jóia rara
do grandioso estado paraense.

Hoje, falarei um pouco sobre Belém, a capital da maior cidade localizada próxima da Linha do Equador; a cidade das mangueira; a "cidade morena", característica herdade da miscigenação do povo português com os índios Tupinambás, nativos habitantes da região à época da fundação.

A cidade, às margens da baía de Guarajá, localizada a 150 km do delta do rio Amazonas é a capital do Pará. Esta cidade foi muito importante no fim do século 19 por ser uma das cidades exportadoras de borracha.
 A mesma perdeu sua importância com o declínio do comércio da borracha, mas guarda em sua arquitetura a beleza das construções daquela época.



 É muito comum encontrar turistas espantados com o calor escaldante que faz aqui, às vezes a temperatura chega na casa do 40° C, também não é difícil enxergar os mesmos tecendo elogios a
chuva que cai sempre ao final da tarde. Os Belenenses costumam dizer que Belém tem duas estações: a que chove todo dia e a que chove o dia todo. Portanto, meu amigo(a), se um dia conheceres esta cidade, não
se espante com esses fenômenos da natureza.



 Belém é uma das capitais gastronômicas do mundo, com sabores amazônicos unidos às mais variadas tendências internacionais. Muitos consideram a culinária paraense como sendo a genuinamente brasileira, por contar quase que exclusivamente com ingredientes nativos. A variedade de ervas, frutas e peixes é inacreditável, mas vamos começar com o sabor do açaí, pra manter a energia.

Tomar um açaí (em Belém, o açaí é comumente servido com farinha e peixe frito) é obrigatório, mas a culinária paraense é imensa. Tucupi, tacacá, maniçoba (conhecida como "feijoada amazônica", feita com as folhas da mandioca-brava, carne bovina e de porco). Doces de tantas frutas amazônicas. Sem mencionar a alta-gastronomia que se utiliza dos produtos locais para elaborar novas delicias. Daí pra frente é com você, descubra e encante-se com o “Brasil Amazônico”.



Se algum de vocês me perguntarem onde um turista deve ir, eu diria: vá conhecer o Theatro da Paz; a Estação das Docas, o Mercado do ver-o-Peso que fica logo ao lado; ande cerca de 10 minutos e você vai se deparar com o Complexo Feliz Lusitânia, ele abrange o Forte do Presépio, a praça Dom Frei Caetano Brandão, a Casa das 11 Janelas, a Igreja de Santo Alexandre (museu de arte sacra) e a Catedral Metropolitana de Belém.


 Não deixe de ir visitar o Museu Goeldi; o Bosque Rodrigues Alves; visite aos domingos a feirinha da Praça da República, caminhe e perca alguns quilinhos na Praça Batista Campos, que em 2007 foi eleita a praça mais bonita do Brasil; vá ver o pôr do sol no Ver-o-Rio, o Mangal das Garças, um espaço que pertencia à Marinha e foi transformado em Parque, com borboletário, jardins, píer, museu e restaurante ou se preferir, procure conhecer um pouco da Cultura Marajoara no Distrito de Icoaraci.



 Belém é assim, minha gente, um miSto no miXto. Por mais que isso possa parecer uma auto-promoção das pessoas que aqui residem, o povo paraense é muito hospitaleiro. Em dois minutos tu faz amizade, em cinco ele já te chama de maninhu..rsrs

Mesmo com o crescente índice de violência, as pessoas ainda guardam o costume de pôr cadeiras em frente de casa e conversar até o sol cair - algumas até vendem tacacá e vatapá.

Por aqui se respira um ar provinciando, mas a modernidade vem logo atrás. Ultimamente, Belém vem "sofrendo" com o boom imobiliário e isso fez com que tivéssemos o 5° metro mais caro do país; por um lado é bom, mas por outro...

Por mais que eu tente passar meu ponto de vista à respeito da Mangueirosa, isso não seria capaz de passar
a sensação que se tem quando se passeia pela cidade.

Se tu acha que Brasil é só Rio de Janeiro e São Paulo, estás completamente engando. Belém é pai d'egua também..


Aos leitores deste blog que aguardavam anciosos por esta postagem, peço desculpa
por fazê-los esperar tanto - eu não reunia condições para tal.

 Abraços..

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pulseiras do sexo - era só que me faltava

Procurando no Google informações sobre a construção da Hidrelétrica de Belo Monte, aqui no Pará, achei uma notícia no mínimo revoltante.

A mesma fala sobre As Pulseiras do Sexo, a nova moda entre as meninas britânicas.
As tais pulseiras têm cores distintas que representa um ato efetivo ou sexual que, em teoria, as meninas deveriam fazer caso um menino conseguisse arrebentar. Esses atos vão desde apertos de mão, abraços inocentes e até sexo oral e relações sexuais completas.



A moda está causando polêmica e revolta entre pais e professores e chegou até aos órgãos competentes.

Como algumas meninas de oito anos de idade já apareceram com as pulseiras, há escolas que já proibiram o uso.

Tem gente achando que se trata apenas de brincadeira de criança, que as pulseirinhas coloridas não significam que as meninas irão realmente fazer o que as cores determinam e que joguinhos com fundo sexual não são novidades no parquinho. E ainda questionam: "quem nunca brincou de pega-pega em que o menino dá um beijinho na menina?"

Por outro lado, há quem acredite que a prática expõe crianças pequenas a termos sexuais que elas não conheceriam de outra forma e promove a erotização infantil.

Há também o temor de que proibir as pulseiras só vai torná-las mais desejáveis.

Antes de encerrar este post, vou mostrar o significado das cores:

» Amarela – é a melhor porque significa das um abraço no rapaz;
» Laranja – significa uma “dentadinha do amor”;
» Roxa – já dá direito a um beijo com língua;
» Cor-de-rosa – a menina tem de lhe mostrar o peito;
» Vermelha – tem de lhe fazer uma lap dance;
» Azul – fazer sexo oral praticado pela menina;
» Verdes – são as dos chupões no pescoço;
» Preta – significa fazer sexo com o rapaz que arrebentar a pulseira;
» Dourada – fazer todos citados acima;

E você, o que acha?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Termômetro do Emprego

Como faço cursinho pré-vestibular durante o turno da noite, chego sempre com sono
e pensando em passar no vestibular e, conseqüentemente, conseguir um bom emprego
após o término da faculdade (esse desejo só é mais forte após as aulas..rsrs). Foi pensando nisso que eu dei uma vasculhada no Google buscando informações à respeito
de como está a área de trabalho para um recém formado em Licenciatura e Bacharelado em Geografia.

Vasculhei, vasculhei e vasculhei. O que encontrei? As mesmas coisas que eu já sabia, em resumo: "O mercado de trabalho é favorável tanto para quem faz licenciatura como para aquele que opta pelo bacharelado. Na educação, o licenciado em Geografia encontra boas chances de emprego em escolas de ensino fundamental e médio. Como várias regiões do país são carentes desse docente, muitas vezes as vagas acabam sendo preenchidas por profissionais de áreas afins. Para o bacharel, a procura parte principalmente de prefeituras, órgãos públicos e empresas privadas de consultoria."

CONCLUSÃO: Só fico desempregado se eu quiser.

Mas não é disso que me proponho a falar neste post. Durante roda essa minha "pesquisa de mercado", acabei encontrando o Termômetro do Emprego; um site criado pelo governo paulista em parceria com USP, que tem como objetivo o cálculo de chances para encontrar um novo emprego baseado nas informações fornecidas pelo usuário.

“O Termômetro do Emprego é uma ferramenta que informa os cidadãos desempregados sobre a ‘temperatura’ do mercado de trabalho. Oferece a quem o consulta um resultado simples e direto na forma de um número: o FATOR do candidato ao trabalho”, informa o site.



No caso, o FATOR aponta as chances que o interessado tem em encontrar emprego em um determinado período de tempo, que pode variar entre 30, 60 e 90 dias. Quanto mais alto, maiores suas chances de conseguir uma posição.

O termômetro, bem fornece algumas informações relevantes, como o tempo que pessoas na sua mesma situação ficam no emprego novo e até a faixa salarial aproximada sem e com carteira assinada.

O chato de tudo isso, é que o tal do FATOR refere-se às Regiões Metropolitanas de Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro.

Tentei saber qual era a minha "chance" de conseguir um emprego em São Paulo e o resultado foi FATOR 013. Na capital mineira, FATOR 022; na capital gaúcha, FATOR 021; em Recife, FATOR 013; no Rio de Janeiro, FATOR 008; e por fim em Salvador; FATOR 006.

É triste saber que sou um incapaz e que se eu fosse para tais capitais, seria facilmente explorado e receberia um salário merréca...rsrsrsrs

Se gostaram do post, vejam as suas chances de arranjar um emprego e depois conte aqui nos comentários.

Abraços.

sábado, 7 de novembro de 2009

Sessão dos sábados - Parte I

A partir de hoje, dou um novo passo com este blog. Resolvi criar uma seção, aos sábados, mostrando as belezas e curiosidades do Estado Pará. Um estado que concentra mais de 50% de todas as atrações turísticas da Amazônia Legal.

Penso que muitos de vocês se questionam pelo real motivo de eu estar fazendo isso, mas responderei com isto: me considero um paraense, depois brasileiro. Amo esta terra e por isso me senti no direito de homenageá-la.

Para muitos, o estado é considerado uma "Terra sem Lei", um lugar onde os conflitos agrários reinam e ninguém faz nada, tem o título de "vilão da floresta", como o principal estado que desmata a Floresta Amazônica.

Não nego nenhum dos vários problemas sociais existentes aqui, porquanto os mesmos são comuns no restante do país. Deixando em segundo plano os problemas, mas não os esquecendo, temos lugares, paisagens, cheiros e sabores que encantam as pessoas que aqui vivem e quem aqui chega pela primeira vez.

E como primeira maravilho do Pará, o(a)s apresento:

Ilha do Marajó: a maior ilha fluvial do mundo




Cercada pelo oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins, a Ilha de Marajó ainda é um ambiente desconhecido do turista brasileiro. O arquipélago possui 50 mil km2, e abrange 12 municípios, é considerada a maior ilha fluvial do mundo.




Os búfalos, símbolos do local, podem ser vistos nas extensas planícies ou mesmo em áreas urbanas, e também estão presentes na culinária: a carne e o queijo do animal podem ser provadas nos restaurantes da Ilha. Há ainda outros animais, como peixes e aves raras, que fazem parte da rica fauna local.



Destacam-se na programação turística passeios ao Museu do Marajó, que contém peças de cerâmica produzidas pela índias marajoaras, às fazendas da região e exibições de danças típicas como o carimbó. As praias da Ilha têm ruínas antigas e passeios pelo mangue, que, a exemplo da Praia do Araruna, estão sendo engolidos pela água.
A infra-estrutura da ilha não é das melhores, mas para quem gosta de viagens exóticas a lugares desconhecidos, a Ilha de Marajó é um prato cheio!

Votem em mim - Concurso Melhor Blog Paraense

Olá amigo(a)s, como estão todos? Galera, sei que é chato ter que pedir isso, mas é que estou participando de um concurso onde o mesmo premiará os melhores blogs do Pará. Esta é a segunda edição do concurso e é organizado pela comunidade Blogueiros Paraenses. Quer saber um pouco mais sobre ela? CLIQUE AQUI.





Concorro na categoria OPINIÃO, esta que está cheia de blogs de altíssima qualidade, editado por pessoas inteligentes e que contribuem para difusão desta mídia aqui no estado. Alguns dos meus "adversários" são o 100Grana – Cultura Pop para Lisos e o Blog do Ivanzito.

Pra votar é muito fácil; é só CLICAR AQUI, onde você será direcionado(a) para a página do Blog do Jeco no concurso.

Me perdoe se eu estiver pedindo muito de você.
Até outro post.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Nem pra essa moda pegar por esses lados

A cidade de Londres inaugurou um cruzamento em X para pedestres.

Eles [os londrinos] criaram um cruzamento em diagonal ontem em Oxford Circus, um dos principais centros de compras da capital britânica e, salvo engano, já é o mais movimentado da Europa. O modelo de cruzamento interrompe o fluxo em todas as direções ao mesmo tempo, permitindo que as pessoas atravessem a rua em X ou do modo tradicional.
A idéia foi "copiada" dos cruzamentos já existentes em Tóquio. Agora, mais pessoas podem atravessar as ruas, diminuindo toda aquele empurra-empurra no local.
A mudança em Oxford Circus custou 5 milhões de libras, o equivalente a quase R$ 15 milhões.




Bem que isso poderia ser implementado aqui no Brasil. Aqui em Belém, por exemplo, nós necessitamos de um, já que no centro da cidade tudo é uma esculhambação só. É gente atrevassando a rua indevidamente, pondo em risco a sua vida e a dos outros; é motorista estacionando em cima das faixas de pedestres e, às vezes, impedindo a acessibilidade dos cadeirantes, tem até os ambulantes se apropriando do espaço público. Pode uma coisa dessa?

Abraços..

domingo, 1 de novembro de 2009

O 4° elemento?

Vamos sorrir? Olhe fixadamente para esta imagem e tente encontra o 4° elemento.

Como achá-lo?
.

.
Confesso que demorei mais de um minuto para encontrá-lo. Sei que você vai se rachar de rir quando perceber a existência dele..rs

sábado, 31 de outubro de 2009

Dia da Criança: comemorar ou refletir?



Depois de um mês, o bom filho retorna ao lar.
Pensei, questionei, pensei e questionei inúmeras vezes e resolvi abordar um tema que considero de grande valia.
Vamos ao que interessa:

Há 19 dias, "comemoramos" uma data muito especial para as crianças do mundo inteiro. Muitas delas comemoraram, pois acabaram sendo presenteadas com brinquedos ou pequenas lembranças, outras não tiveram esta sorte ou oportunidade.

Nesta que foi uma data especial, convido você a refletir sobre algumas questões: será que temos motivos suficientes para comemorar o Dia da Criança ou ainda há muito que se fazer? Em sua vida, o que você atribui a essa fase que muitos dizem ser a melhor? Essas são dúvidas que tenho quando penso sobre a questão da criança no Brasil.

Como todos nós já sabemos, elas nos projetarão para frente; mas em vez de pensarmos nelas apenas como o futuro do país, temos que fazer todo um esforço para colocá-las no centro de nossas atenções. Elas são o presente e, se bem cuidadas, serão capazes de construir um amanhã mais justo. Isso está óbvio, mas quanto mais investirmos nelas hoje, teremos um retorno muito grande quando elas forem adultas.

Devemos investir nas crianças não só financeiramente, mas em um nível mais profundo, da cidadania. Se elas aprendessem desde cedo seu papel na sociedade tudo poderia ser diferente. Por meio da educação, podemos transformar o agente de sua própria história.

Os pais enfrentam algumas situações para matricular seus filhos em uma escola pública, por exemplo: grandes distâncias entre residência e escola, falta de transporte público nos horários necessários e até mesmo merenda.

Oferecer uma merenda com alto valor nutricional, que estimule a diversidade alimentar e a consciência ambiental, por meio da inclusão de produtos hortifrutigranjeiros que seguem normas orgânicas, por exemplo, é algo que traz benefícios para todos. Isso porque a gestão pública compra o que é necessário e correto e as crianças recebem uma alimentação balanceada. É quase impossível o aluno prestar atenção em uma aula sonhando com o almoço. E nós sabemos quão inventivas são as crianças.

Esses são alguns motivos que me levam a acreditar que é importante pensar todos os dias nas crianças e não apenas no feriado de 12 de outubro. Somente assim teremos o que comemorar por elas e, mais do que isso, criar condições para que elas mesmas celebrem essa fase da vida quando forem adultas.

sábado, 26 de setembro de 2009

Agradecendo os leitores e presenteando com um selo HONESTO

Há quase uma semana sem postar algo novo, pois ainda não elaborei nada de interessante, resolvi condecorar alguns parceiros que contribuem para o sucesso gradativo do Blog do Jeco.

Pensei várias vezes se eu devia fazer isso. Digo isso, pois não recebi de ninguém o tal selo que eu irei repassar e pode soar como falta de comprometimento com as pessoas que, mesmo esporadicamente, lêem este mísero espaço na Internet.

Tenho notado um ligeiro crescimento de leitores e visitas a este blog, que prefiro chamá-lo de diário. Hoje, vejo que estou conseguindo atingir pessoas com o que escrevo, algo que nunca achei que aconteceria. Comecei escrevendo sobre coisas que aconteciam comigo, fui percebendo que havia coisas mais importantes para serem postadas, como problemas deste país e de Belém, um pouco das relações interpessoais e por aí vai..

Chega de falatório e vamos ao que interessa.
Páginas On Line: Blog da minha companheira Kikinhah, que sempre está nos presenteando com um bom post de humor e assuntos do dia-a-dia.
Schraubles: Um blog cheio de curiosidades com entretenimento. É de grande valia passar por lá.
Scrummiest: O blog da linda e meiga Stella. Me identifico bastante com o que tu escreve, menina..rsrsr.
Belenâmbulo: Um blog que mostra através de fotos, com tom de piada, mas não deixando de ser sério, os problemas da capital paraense, Belém.
Blog além do que se vê: Este não poderia ficar de fora, pois foi uns dos primeiros que comecei a tirar motivação pra poder continuar.

Então estes foram os condecorados, as regras todos já sabem e vamos a diante.

ESTE É O SELO:



Abraços.
Semana que vem, volto com uma postagem nova.

domingo, 20 de setembro de 2009

A violência no Brasil


Eu estava sem vontade de fazer um post hoje, mas assistindo ontem um programa local (Rota cidadã 190), em que o repórter dizia que o íncice de criminalidade na Região Metropolitana de Belém aumenta a cada dia, resolvi falar um pouco da realidade que
afeta a capital paraense e o restante do país. Ando esta cidade de cabo a rabo e o que o repórter disse só veio confirmar o que eu vejo durante as minhas andanças.

Como todos sabem, no Brasil a violência, sobretudo urbana, está no centro do dia a dia e ocupa as manchetes dos jornais. Ela é assunto de especiais para a tv e, mais que tudo, assombra as consciências, de tal forma é ameaçadora, recorrente e geradora de um profundo sentimento de insegurança. Essa evolução é sintoma de uma desintegração social, de um mal-estar coletivo e de um desregramento das instituições públicas.

Assim como a Colômbia, lamentavelmente conhecida pela carência de um Estado forte e sobretudo pelas chacinas perpetradas pelos cartéis da droga (Medellin, Cali), entre os países de colonização européia, o Brasil é o mais atingido pela criminalidade assassina. O que se conhece é apenas a ponta do iceberg.

A violência oculta atrás dos muros das casas, a violência sexual, as rixas familiares e as crianças espancadas só são conhecidas muito parcialmente, mesmo em caso de falecimento das vítimas; as circunstâncias das mortes são, então, esmagadas sob uma capa de silêncio. Além do mais, o controle pelo registro civil continua a ser falho, principalmente nas zonas rurais mais pobres ou dentro de zonas urbanas de instalação recente (subúrbios, favelas e cortiços). O enterro oficial tem um custo com o qual as camadas mais desfavorecidas da população não podem arcar.

Como qualquer visitante que sou, fico chocado pela obsessão com a insegurança que atinge a totalidade dos habitantes das grandes cidades brasileiras. Aqui em Belém, por exemplo, casas vigiadas, cercadas por grades, protegidas por seguranças, são igualmente sinais desta desconfiança das classes burguesas com relação às classes ditas perigosas.

Tudo se passa como se os brancos tentassem reproduzir enclaves europeus, evitando o contato com descendentes de escravos ou com os imigrantes, fugindo da miséria no seu Nordeste natal. Muitos são os que ousam falar de um apartheid social pois, diante de tal segregação social, é inevitável lembrar daquela que existe em países com forte tensão entre negros e brancos, como os EUA, ou a África do Sul.

A violência gera o medo, mas este gera igualmente violência. Trata-se então de um círculo vicioso que se instala, uma psicose coletiva que é preciso romper a qualquer preço e cujos únicos beneficiados são certos lobbies da segurança, como as firmas de vigilância, as milícias privadas, as companhias de seguros, os esquadrões da morte, etc.

Assim, são atingidas a imagem e a reputação internacionais do Brasil. Esse imenso país de sonho e de riquezas fabulosas não consegue "decolar" como prometido. Muitos responsáveis estrangeiros que nele apostaram guardam da experiência uma certa amargura, tal é o desperdício, a corrupção e o corporativismo que neutralizam a iniciativa e o esforço de inovação.

Abraços.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Por dentro das gírias paraenses


Primiero vamos entender o significado da palavra Gíria:

- São palavras ou construções de uso corrente entre grupos sociais diferenciados, não raro marginais, e só nestes grupos. A gíria é um fenômeno antropológico. Nos grupos que a praticam, a gíria desempenha uma função especial: é a senha da confraria.

Depois de ter "abandonado" o estado que nasci, entenda-se Maranhão, e estar há quase 18 anos no Pará, posso dizer que me considero um paraense da terra. Conheço mais do Carimbó do que o Bumba-meu-boi. Ouço mais as músicas do Nilson Chavez do que as do Zeca Baleiro e por vai. Prefiro o Jader Barbalho em detrimento do José Sarney..rsrs!

As únicas coisas que não tenho semelhanças com os paraenses (com o resto dos amazônidas também), são os olhos puxados, traços índigenas e [como posso dizer?] aquele cabelo chapado, que mais parece um pinto molhado, ao menos ACHO.
Mas mesmo que os tivesse, não seria problema.

Tendo entendido o significado da palavra gíria e depois de tomarem conhecimento de um pouco da minha vida, vamos ao que realmente interessa.


PAPA-CHIBÉ:
Paraense autêntico, aquele que não troca seu pirão de água com farinha, com umas boas cabeças de camarão.

PAI D'ÉGUA: Excelente
Ex: É pai d'égua a obra daquele autor

Maninhu
: Amigo, Colega
Ex: Oi Maninhu, como ta tu?
JÁ ME VÚ : Tchau
Ex: Já me vú. A mamãe tá me chamando
HUM TÁ, CHEIROSO: Hum...tá bom gatinho, tá bom lindo, tá bom bonito. É uma forma de ironia, tipo, "conta outra"
Ex: Maninhu, peguei duas loiras ontem na festa.
O amigo duvidando - hum...tá cheiroso
DESPOMBALECIDO: Estado de moleza e cansaço. 2. enfermidade;
Ex: Ele foi todo despombalecido para o colégio
ESBANDALHAR: Quebrar
Ex: Ele esbamdalhou meu brinquedo
JÁ QUERES: É usado quando uma pessoa está interessada em outra.
Ex: Olha esse carinha, é gatinho (a garota fala) / Resposta: Já queres, né!(a outra responde)
TORÓ: O mesmo que Chuva.
Ex: Vai cair um toró hoje
TÁ RALADO: Palavra usada para expressar que algo está difícil de ser realizado.
Ex: Tá raldo de eu consegui aquele dinheiro
POTOCA: Papo furado, mentira.
Ex: Ele já foi contar potoca
VAREJEIRA: Mulher safada
Ex: Nem precisa de um exmplo.

FIQUEI DE BUTUCA:
O mesmo que ficar de espreita, escondido.
Ex: Fiquei de butuca, só te olhando
PIOR: O mesmo que, é verdade
Ex: Nossa, mais tá chovendo muito forte, né? Pior que é!
BUIADO: O mesmo que cheio da grana, endinheirado.
Ex: Tu tá buiado no dinheiro, né?

PERAÍ:
O mesmo que esperar um pouco.
Ex: Ei maninha, peraí. Já tô indo.
MUFINO: Adoentado, triste, cansado, abatido.
Ex: Ele tá mufino hoje
VUADEIRA: Lancha
Ex: Fui de vuadeira à Ilha das Onças.
MAS ÚÚÚ: O mesmo que, nooooosa.
ÉEEEGUA! TÉ LEZO, É? O mesm oque dizer, deixa de ser doido.
APLICA NA JAGULAR OU APLICA NA MENTE: Quando alguém te conta uma história que é, provavelmente, mentirosa.
Ex: Tá bom. Aplica na minha mente
FACADA: Alguma coisa de custo elevado.
Ex: Olha, esse vestido tá lindo, mas custa uma facada.
MIJADA: O mesmo que bronca.
Ex: pegaste um mijada da tua mãe, foi?
LEVOU O FARELO: O mesmo que, se deu mal.
MUITO PALHA: Muito ruim.


É melhor parar por aqui, pois quero dá continuidade em outra oportunidade.
Se gostou, comenta e deixa um gíria de sua cidade.

Abraços.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

A importância da pontuação


Extraído do pOr trÁs dAs LeTraS


Hoje pela manhã, eu estava verificando a situação da minha inscrição para o vestibular da UFPA, e acabei encontrando este pequeno artigo.
Achei muito interessante e de grande valia para todos nós. Afinal, trabalhamos com a escrita e com nossos blogs passamos situações que nos deixam inquietos, buscamos resposta para indagações, até então, sem respostas e até procuramos ajudar nossos leitores com as nossas vivências. Por isso, nada melhor que ter domínio de como se expresar com um lápis e um papel na mão. Neste caso, um teclado e um computador na sua frente.
Como já disse em outro post, escrever é um ato que exige empenho, e este pequeno artigo que estou prestes a postar, só vem corroborar com o que todos nós já sabemos.

Então vamos ao que interessa!!!
_______________________________________________________________________

Recebi de um leitor (login: rondon.jr) um texto bastante conhecido, antigo, como exemplo de como a pontuação faz a diferença. A reprodução abaixo não é falta de assunto, mas uma forma de compartilhar com os leitores mais jovens as coisas antigas e boas que estão na internet.

Um homem rico estava muito doente, pediu papel e caneta, e assim escreveu:

"Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres".

Morreu antes de fazer a pontuação. Para quem ele deixava a fortuna?

Eram quatro concorrentes. O sobrinho fez a seguinte pontuação:

"Deixo meus bens à minha irmã? Não, a meu sobrinho.

Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres"

A irmã chegou em seguida e pontuou assim, o escrito:

"Deixo meus bens à minha irmã, não a meu sobrinho.

Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres."

O alfaiate pediu cópia do original e puxou a brasa pra sardinha dele:

"Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate.

Nada aos pobres."

Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:

"Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Aos pobres."

MORAL DA HISTÓRIA

Pior de tudo é saber que ainda tem gente que acha que uma vírgula não faz a menor diferença!

*Hélio Consolaro é professor de Português, cronista diário da Folha da Região, Araçatuba-SP, presidente da Academia Araçatubense de Letras, coordenador do site Por Trás das Letras.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Vida, uma faculdade por dia






Erramos, acertamos, aprendemos, ensinamos e hoje começamos mais uma etapa de erros, acertos, aprendizagens e ensino, pois quem vive nunca pode parar de errar para acertar, ensinar para aprender e assim evoluir.

E antes de qualquer coisa, saímos daqui levando a certeza de que grandes amigos fizemos e pudemos conhecer mais uma minúscula parte gigantesca do que é viver, e se magoas levamos são as de não podermos continuar lado a lado nesta nova caminhada.


E se pedimos algo, é que Deus sempre ilumine nossos passos e mentes para que sempre sejamos capazes de buscar o justo e lutar pela fraternidade.

Amizade é como o conhecimento, depois de conquistada não há tempo nem falta de estudo que a apague.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Indepedência ou morte?


Um post à semana da pátria.


Se Dom Pedro desembainhou a espada, eu não sei. Se estava mesmo tão certo
às margens do Ypiranga, só a história conta. Se os ideais eram de buscar uma liberdade, acredito que poucos souberam ao seu redor de tamanha vontade e necessidade, mas uma certeza num Brasil do século XXI isso eu sei, ainda necessitamos desembainhar a espada para a Independência deste Brasil dos políticos que são os nossos opressores dos dias de hoje, dos governantes que a seu bel prazer constroem um nepotismo, dos funcionários que fazem vista grossa ao dever de cumprir, a polícia que tanto mata e deixa de proteger aos muitos brasileiros que preferem o “jeitinho” ao ”certo”.

Por isso, o lugar que seja agora, a maneira, que seja a coragem e a forma que seja o ideal de um País liberto. Não perca mais tempo meu amigo compatriota brasileiro e não só diga “independência ou morte”, mais lute todos os dias pela independência eterna dessa nação, e para isso, não se deixe levar só pela sua necessidade, pois há alguém na sua mesma rua, no seu mesmo prédio, na mesma escola, nos lugares aos quais freqüenta, que também é um sonhador como você.

domingo, 23 de agosto de 2009

Escrever é um ato que exige empenho



Muitas pessoas acreditam que aqueles que redigem com desenvoltura executam essa tarefa como quem respira, sem o menor esforço. Não é assim. Escrever é uma das atividades mais complexas que o ser humano pode realizar. Faz rigorosas exigências à memória e ao raciocínio. A agilidade mental é imprescindível para que todos os aspectos envolvidos na escrita sejam articulados, coordenados, harmonizados de forma que o texto seja bem sucedido.

Conhecimentos de natureza diversa são acossados para que o texto tome forma. É necessário que o redator utilize simultaneamente seus conhecimentos relativos ao que quer tratar, ao gênero adequado, à situação em que o texto é produzido, aos possíveis leitores, à língua e suas possibilidades estilísticas. Portanto, escrever é incompatível com a preguiça.

A tarefa pode ir ficando paulatinamente mais fácil para profissionais que escrevem muito, todos os dias, mas mesmo esses testemunham que escrever é um trabalho exigente, cansativo e, muitas vezes frustrante.

Sempre queremos um texto ainda melhor do que o que chegamos a produzir e poucas vezes conseguimos manter a linguagem escrita, todas as sutilezas de percepção original acerca de um fato ou pensamento. O que admiramos na literatura é justamente essas especificidades, essa possibilidade de expandir pela palavra escrita emoções, pensamentos, sensações, significados, que nós, leigos, não conseguimos traduzir com propriedade.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Nós mesmos

Olá meus amigos, como estão todos?
Hoje, mais do que nunca, ando com uma vontade de escrever e ler. Já li mais de
20 posts em diversos blogs [um recorde pra mim].
Acordei com uma vontade de me manter inteirado do que acontece no país e saber o que vocês andam escrevendo de suas vidas [não sou um fofoqueiro..heheh]
É melhor eu parar por aqui e ir ao que interessa.



Embora a maioria atribua, provavelmente, seus problemas aos demais, à má sorte ou
às circunstâncias, a verdade é que criamos nosso próprio sucesso ou fracasso.
O caminho para a vida positiva, bem sucedida, começa com um exame de consciência
e, em última análise, depende do que pensamos de nós mesmos.

Há alguns dias, rasurei as seguintes palavras: "sem uma confiança humilde mas razoável em sua própria capacidade, você não pode ter sucesso. Mas, com sólida confiança, pode". A sensação de inferioridade ou inadequação interfere na
concretização de suas esperanças, ao passo que a autoconfiança leva à realização
pessoal e ao atingimento de objetivos. Bem, mais do que nunca, estou convencido
de que isso é verdade.

De que modo desenvolver a autoconfiança em nós mesmos? Não pense em coisas que
parecem ser contra você. Pensar em fatores negativos simplesmente lhes dá um poder que eles não têm. Em vez disso, afirme, reafirme e visualize seus ativos - o amor
de Deus, seu pai, a capacidade de sua mente e talentos, a boa vontade de seus
amigos e família, sua saúde física, seus pontos fortes, seu futuro, suas possibilidades.

Grave indelevelmente na mente uma imagem de você tendo sucesso. Faça uma estimativa precisa de sua capacidade e, em seguida, eleve-a a dez por cento. Afirme que Deus está com você. Coloque-se nas mãos dele e acredite que está, nesse momento, recebendo Dele poder para atender a todas as suas
necessidades.

Abraços...

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Marina agenda Belém

No blog Espaço Aberto:




Ainda petista, mas com o coração pulsando cada vez mais forte pelo PV, a senadora Marina Silva, que todo dia, o dia todo, reflete nos últimos dias sobre a conveniência de disputar a próxima eleição presidencial, estará em Belém nesta quinta-feira.
Participará da 7ª edição da Série “Jornalismo Ambiental – Os desafios da cobertura na Amazônia”.
Os detalhes estão na imagem acima, que você ampliará se clicar nela.

domingo, 16 de agosto de 2009

Protesto virtual: Nós apoiamos Lúcio Flávio Pinto


Deseja Contribuir? Siga as instrunções.



Como participar: Do seu computador, envie mensagens de protesto (abaixo) à seções
Fale Conosco e ORM Repórter, do Portal ORM.

COPIE O TEXTO ABAIXO E ENVIE O SEU PROTESTO ÀS ORM:

Aos Senhores
Romulo Maiorana Júnior, presidente executivo da ORM
Ronaldo Maiorana, diretor e editor corporativo do Jornal O Liberal


Prezados Senhores,

Apurar as diferentes versões de um fato, contadas por seus diversos personagens é princípio apregoado em qualquer escola de jornalismo, no Brasil e em todo mundo. Tarefa que, de tão elementar, por vezes é desprezada, até mesmo em redações tradicionais.

Como afirma o ombudsman do jornal New York Times, Byron Calame, “ouvir os dois lados de uma história e mostrá-los aos leitores é o trabalho básico de repórteres e editores. Esta é a receita para se criar um jornal imparcial – para os leitores e para as instituições e pessoas que são tema das matérias”.

Quando uma notícia relata somente uma versão de um fato tão grave, como o da sentença expedida pelo juiz Raimundo das Chagas Filho, da 4ª Vara Cível da capital, que condenou o jornalista Lúcio Flávio Pinto a pagar aos senhores uma indenização de R$ 30 mil devido à publicação, no ano de 2005, de supostas “expressões caluniosas” contra a “memória de vosso extinto pai”, além de proibi-lo de mencionar vossos nomes e do patriarca da família em seus artigos, vários princípios – do exercício do jornalismo e dos direitos garantidos pela Constituição Federal de 1988 e pela Declaração Universal dos Direitos Humanos – estão sendo violados.

A sentença, pelo alto valor estipulado e censura prévia ao jornalista, e a não-exposição dos argumentos do sentenciado nos jornais da família – o não-ouvir o "outro lado da questão" – é mais uma afronta à democracia, que prevê a necessidade da publicização de temas e do debate de interesse público, como a liberdade de imprensa e de expressão.

O mais assustador é que tal medida vem acompanhada de outros casos lamentáveis no país, como a proibição imposta pela Justiça ao jornal Estado de São Paulo, impedido de divulgar informações sobre a Operação Boi Barrica, da Polícia Federal, que traz diálogos entre o senador José Sarney (PMDB-AP) e seus familiares sobre o preenchimento de cargos no Senado a partir de atos secretos.

Fica claro às pessoas que conhecem a trajetória profissional de Lúcio Flávio Pinto – e o histórico das perseguições jurídicas que este sofre desde 1992 – que a condenação a qual esta carta faz referência trata-se de censura, desrespeito à liberdade e ao direito intelectual do jornalista e, sobretudo, vilipêndio ao estado democrático de direito.

Consideramos este e qualquer tipo de censura, assim como os esforços para inviabilizar o trabalho do jornalista por meio de inúmeros processos judiciais, uma afronta ao direito humano básico “à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão”, previsto pela Declaração Universal dos Direitos Humanos em seu artigo 19º. Tal perseguição representa um verdadeiro atentado à Constituição Federal Brasileira, Artigo 220, Capítulo V, que garante aos cidadãos que a “manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição”.

Um questionamento pode ser levantado. O que é prioridade para os veículos de comunicação das ORM: levar a informação a seus leitores, de maneira isenta, cumprindo a natureza social do jornalismo ou servir de púlpito aos proprietários da empresa?Como cidadão e defensor de um jornalismo de qualidade, solicito que seja publicada uma nova matéria, na qual se conceda voz a
Lúcio Flávio Pinto.

Atenciosamente,

Nome

Protesto virtual: Nós apoiamos Lúcio Flávio Pinto

O jornalista Lúcio Flávio Pinto foi condenado a pagar mais de R$ 30 mil por escrever artigo sobre a história das Organizações Rômulo Maiorana. Isto é censura. Proteste!

LANÇAMENTO DE LIVRO E DEBATE



O jornalista Lúcio Flávio Pinto fará sessão de autógrafos de seu livro A História Censurada - O Pará dos Nossos Dias no dia 1º de setembro, às 16h, no auditório do Centro de Capacitação da UFPA (Capacit), no campus básico do Guamá, em Belém (PA).

No livro, o autor narra a história de sua condenação pela justiça do Pará por escrever artigo sobre a origem das Organizações Romulo Maiorana. Na ocasião haverá um debate sobre censura e liberdade de pensamento.

Participe e divulgue.

Informações do blog Solidariedade a Lúcio Flávio Pinto, visite: http://solidariedadelucioflaviopinto.blogspot.com/.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Cena da esbórnia - Belém

Uma cadeira plástica encostada no muro do Bosque Rodrigues Alves é o posto de fiscalização da Empresa de ônibus Dom Manoel. Misturada aos carrinhos de comida, banca de DVD e passageiros.

Em frente ao improvisado guichê de fiscalização, do outro lado da avenida Lomas Valentinas, o Posto e Loja Invencível apropria-se diariamente do espaço público, transformando-o em estacionamento privado.

Um motociclista, sem capacete e com uma sandália havaiana dois números menores que seu pé, cruza impune e impavidamente três importantes avenidas, a Senador Lemos, a Doca de Souza Franco e o Boulevard Castilhos França, até estacionar garbosamente na porta do Mercado de Peixe.

O que significam estas cenas? Nada. Apenas cenas de uma cidade institucionalmente, privadamente e publicamente consumida.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Ganhei um selo e retribuirei com outro



Olá galera!

Ganhei um selo da Kikinhah, do Páginas On Line, e fiquei muito contente.
Agora quero dedicá-lo [MAS É COM OUTRO SELO] a outros blogs parceiros que, de
manhã cedinho, eu sempre leio e me mantenho informado. Aproveito pra dizer que
ultimamente eu não estou postando, mas estou acompanhando cada um dos blogs que
eu sigo.
_____________________________________________________________________________________




E com esse selo daqui de cima, irei condecorar os seguintes blogueiros:


IUS ABUTENDI
Antropofáfica
Veneno da Narjara
Além do que se vê
Me and Myself
Escrevo logo existo
e finalmente
Nerdezas aleatórias

Abraços pra todos..

sábado, 1 de agosto de 2009

Filmagem em 360°

Fotografia capaz de captar 360° de um ambiente você já deve ter visto. E vídeo?
Dê um clique na tela e mexa pra qualquer lado.
Tenho certeza que vocês vão achar interessante.


segunda-feira, 13 de julho de 2009

Um dos nossos problemas


Vocês já pararam pra pensar e refletir quão desigual é o nosso país? Não? Acho bom que tenhamos essa noção. Dando uma pesquisada no Google e em alguns estudos que possuo, achei uma pesquisa do ISSP (International Social Survey Programme)sobre as percepções de desigualdade e opiniões sobre justiça distributiva, aplicada no Brasil e em mais de 20 países, os brasileiros se destacaram pela severidade com que avaliam a desigualdade de renda em seu próprio país. Cerca de 84% dos entrevistados no Brasil concordaram totalmente com a afirmativa de que "em seu país, as diferenças de renda são muito grandes". Em nenhum outro país participante da pesquisa esta concordância foi tão alta.

E de quem é a culpa para essa exorbitante desigualdade social? Será da sociedade civil ou dos representantes que elegemos? Deixa que eu respondo: é das duas partes. Claro, esse problema é proveniente da chegada dos primeiros colonizadores, o modo como o processo de ocupação se estabeleceu, como as atividades ecônomicas se comportaram e, consequentemente,definiu o lugar de cada pessoa na sociedade. De alguns anos pra cá, passei a me interessar por estes assuntos, dos quais muitas pessoas não dão à mínima e esse ato de se isentar da política, da vida social, da total despreocupação com o próximo só me confirma, cada vez mais,que estamos dando um passo para trás, retrocedendo.

Já ouviram falar da Hipótese da Distribuição de Renda Desconhecida? Pois então, a mesma fala sobre como os brasileiros se situam na escala social e de como percebem a distribuição de renda no país em que vivem (eu queria falar um pouco disso, mas sei que muitos não lerão e e nem se importarão, por isso não me estenderei muito). A discussão das possíveis causas e consequências da Hipótese da Distribuição de Renda Desconhecida nos remete invariavelmente à necessidade da conscientização dos brasileiros não apenas acerca do estado das coisas a que chegamos e que permanecemos, como também, da posição que nos cabe como cidadãos. Acredita-se, enfim, que quanto mais nos reconhecemos enquanto um país partido por diferenças de oportunidades e renda, mas viável o consenso em prol de mais igualdade, mais evidente a urgência deste consenso, menos difícil aproximar as partes de uma mesma sociedade.

IMPORTANTE: no Brasil 92% do PIB concentra-se nas mãos de 2% de indivíduos e grupos, enquanto 8% se distribuem para os restantes 98 da população brasileira.

No entanto, apesar desta alta desigualdade de renda ser uma evidência nacional, constantemente exposta pelos meios de comunicação e corroborada pelo discurso popular, eu faço as seguintes perguntas: será que nós, enquanto brasileiros comuns e leigos, para além do discurso popular, conhecemos de fato a realidade desigual em que vivemos? Conhecemos os mais básicos parâmetros da distribuição de renda no Brasil? Sabemos quantos são, quanto ganham e como vivem os mais pobres ou os mais ricos neste país? Quanto a isso, muita gente não sabe e tem uma visão meio distorcida.

Vou encerrando por aqui sem falar dos escândalos que estão acontecendo em Brasília e que em nenhum momento mencionei a "mão amiga" do lula, que fez o José Sarney permanecer por mais um tempinho na presidência do senado. Pois é, o Lula Molusco está defendendo os interesses dele; se o Sarney cair, assume a casa um senador da oposição (PSDB ou DEM), dará inicio a CPI da Petrobras e podres serão revelados.

Ahhh! Outra coisa, notaram que ao longo do post não consigo escrever um parágrafo sem que não tenha uma pergunta, mesmo que simplória? Não sei se isso é bom ou ruim, depois me digam o que vocês acham.

Abraços...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Uma cidade transformada em camelódromo - Belém


Infelizmente, entra prefeito e sai prefeito, não há fiscalização preventiva para evitar a "germinação" dos amontoados de ambulantes na via pública.
Tudo começa com uma "inocente" banquinha de bombons ou de lanche, que estaciona em uma calçada.
E vai ficando.
Na semana seguinte, já tem a companhia do carrinho de cocos verdes.
E vão ficando.
A seguir, chega o famoso isopor de bebidas geladas logo ao lado.
Pronto! Aconteceu a "germinação"!
Mais um "arraial" de ambulantes se instala na via pública, atravancando a passagem de pessoas. E com eles, a geração de sujeira tipo restos de alimentos, cocos jogados na vala, lenços de papel usados, plásticos e demais porcarias adoradas pelos ratos.
Daí em diante, ai de quem se atreva a pensar em retirá-los!
Já tem "direitos adquiridos"; já tem vereador defensor (contanto que não seja na calçada do prédio dele, vereador).
E assim se vai mais um espaço público, tomado da comunidade pela ausência da autoridade constituída.
Essa é a realidade da outrora Cidade Morena, transformada em camelódromo municipal.
Prefeito (Duciomar Costa)? Fiscalização Preventiva? Leis aplicadas? Nada, nada...

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Ufa! "Té" que enfim consegui...

Eita, se eu demorasse um pouco mais pra mudar o template do blog não sei o que seria de mim. Depois de dois meses selecionando os melhores templates e tentando entender como retirava o antigo para pôr o novo, graças a Deus a vitória veio na madrugada do dia 22/06.

Amigos, vocês não tem a noção de quão foi árdua esta minha luta pra chegar até aqui. Tive que fazer downloads, descompactar pastas e extrair para pastas selecionadas, adicionar e organizar elementos de páginas...mó chatice!

Antes deu consegui tudo isso, virei a madrugada buscando ajuda no Google e seguindo os passos que encontrei no blog DICAS BLOGGER (recomendo pra quem ainda não conhece) e em outros blogs hospedados no WordPress. Como eu disse anteriormente, foi uma chatice, porém é tentando que se aprende.

Aproveito pra dizer outra coisa aos senhores de plantão, estou mudando também o nome do bolg. Antes ele se chamava Neurônio X - Sinapses de um neurônio, agora ele passará a ser conhecido com o nome de BlogdoJeco.
A mudança é pelo seguinte: quando eu criei o mesmo, não percebi que o nome de que dei ao blog não era igual ao criado no URL (http://blog.....), por isso a tal modificação.

To felizão com tudo que eu consegui...rsrs! Pode parecer pouca coisa, contudo representa muito pra mim. Pouco a pouco darei novas funcionalidades e adicionarei novos widgets e quero saber a opinião de cada um de vocês. Só assim saberei onde está o erro e, conseqüentemente, melhorar.
Finalizo por aqui. Em breve nova postagem.

Abraços...

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Preciso de ajuda. Alguém tem um tempinho pra mim?

Gente, estou em busca de um novo template. Já estou com este desde que eu criei o Neurônio X - Sinapses de um Neurônio e acho que já está mais do que na hora de mudar o visual do mesmo.
Quem aí tem um tempinho pra me ajudar e dar dicas de templates pai d'égua?

Conto com a ajuda de vocês ou serei obrigado a chamar o meu amigo Chapolim..rsrsrs!


Abraços...

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Analfabetismo. Fator determinante para a dominação política econômica e social


Saber ler e escrever, expressar o pensamento ou idéias de forma objetiva e com clareza, seja oralmente ou através da escrita, e saber interpretar os fatos sempre foi muito importante. Entre outros motivos, porque essas habilidades permitem ao indivíduo se aprimorar e desenvolver melhor aquilo que se propõe realizar, abrem-lhe o acesso ao conhecimento, ao discernimento e ao raciocínio, libertando-o das amarras do desconhecimento ou da ignorância dos fatos que o cercam, e ajudam-no a evitar que se torne presa fácil daqueles que se servem da ignorância alheia para benefício próprio.

O analfabetismo limita o ser humano, fazendo-o sentir-se inferiorizado com relação aos que possuem certa instrução e incapacitado para realizar outras funções ou atividades que não as braçais. Por outro lado, certos setores, principalmente da classe dominante, aproveitam-se do baixo nível de instrução da população para exercer o domínio político econômico e social.

O analfabetismo e o baixo nível de instrução, que implicam também a falta de qualificação profissional, são entraves para o desenvolvimento de qualquer país. Enquanto a educação no Brasil não for prioridade da administração pública o país não sairá do impasse do atraso em que se encontra, permanecendo à margem da terceira revolução industrial e tecnológica.

Saber é poder. A existência de uma elite dominante e de uma dominada é determinada entre outros fatores pelo maior grau de conhecimento e instrução dos primeiros em relação aos segundos.

Abraços...

domingo, 3 de maio de 2009

PARA OS JOVENS UM FUTURO




Juventude desvairada que nada
Eu acredito na juventude do futuro
Não quero pensar que são Kamikases da vida
Quero ver nos seus olhos o brilho de amor próprio caminhando sabendo a direção.

Direito a sorrir. Direito de sentir amor e atenção
Direito a minha... e a sua... boa compreensão
Vamos calar o grito da multidão enraivecida,
Que vibra com as desgraças alheias,
Nos involuntários altos e baixos da vida

Que saciam com estas desgraças sua sede
mascarada de vingança contra toda esta
desigualdade existencial
fazendo culpar-se diante dos fracassos da sua própria lida.

Seremos diferentes deles, os educadores sem noção que acham que educação e rigidez é opressão,
sem direitos só deveres sem se envolver sem
mostrar emoção.

Quero para os jovens o aprendizado e a sensação
de viver a intensidade das suas escolhas
com consciência e referencia sobre o
adulto que segura sua mão.

Vamos lá ! Levante agora ! Vamos lutar !
Lutar fazendo paz na guerra pela sobrevivência
Vamos promover a vida

O nosso lema é este hoje e sempre
Orientação para proteção.

domingo, 22 de março de 2009

Ser Feliz- Opção?

Não tenho uma vida perfeita. Faltam algumas coisas, embora não materialmente falando, mas minha vida, olhando bem de perto, não é perfeita. Talvez, se fosse, seria chata. Nada a descobrir, aprender ou buscar. Até mesmo os relacionamentos conflituosos (às vezes com pessoas de quem se deveria receber amor ou apoio) têm alguma coisa a ensinar.
Mas quando nos focamos no porquê das pessoas serem como são, tentando entender por que elas não são como achamos que deveriam ser, começamos a nos sentir infelizes. Exatamente porque não existe uma resposta para esta pergunta, cada um é como é e pronto, e só nos resta aceitar, quando somos obrigados a conviver com isso, evitar tais contatos sempre que possível, ou partir para outros relacionamentos.
Pois submeter-se a este tipo de abuso, simplesmente porque as pessoas em questão são da família, ou cônjuges, ou até mesmo amigos com quem tínhamos coisas em comum no passado mas que hoje tornaram-se um peso morto em nossas vidas, é auto torturar-se. Por que manter em nossas vidas pessoas que nos fazem sofrer?
É claro, podemos nos relacionar com estas pessoas, mas não precisamos estar realmente envolvidos com elas. A vida tem sempre coisas boas e coisas ruins. Desconfio sempre da perfeição. Quando alguém chega para mim e diz "encontrei a casa perfeita", ou "ele é o cara perfeito", fico logo desconfiado. Perfeição não existe, e se existisse, não acrescentaria nada à vida de ninguém. Mas, ser feliz é apenas uma questão de foco.
Se me concentro no que falta, ou no que está ruim (sem tentar fazer nada para mudar, apenas reclamando), sou infeliz. E tornarei infelizes todos aqueles que de mim se aproximarem. Se decido me concentrar no que é bom, no que está comigo, no que eu tenho, valorizando e mantendo dentro de mim um sentimento de verdadeira gratidão, eu sou feliz. Acho que a pior coisa que um ser humano pode fazer a si mesmo é sentir auto-piedade.
Claro, todos ficamos tristes, todos temos dias ruins. Mas achar-se um coitadinho por causa de uma coisa que é comum a todos, tornando-se uma constante vítima do destino, e pior ainda, culpando os outros pelos nossos fracassos, me desculpem se sou muito rígido e cabal, é prova de grande ... burrice!
O máximo de tempo que consigo sentir pena de mim mesmo, são cinco segundos. Depois, faço o que puder para mudar meu ângulo de visão, e começo a pensar no que fazer para dar a volta por cima. E tentando sempre não cometer os mesmos erros. Errar é humano, repetir o mesmo erro é equino. Por tudo isso, acho que sim; ser feliz é uma opção.
A tal estória da limonada é verdadeira.

Explicações..

Depois de pouco mais de um mês sem postar no Blog, aqui estou na ativa novamente. Confesso que eu andava desanimado, com a mente vazia (mas não virou oficina do diabo), não tive a coragem -coragem eu tenho, era a preguiça mesmo- de mover uma palha e correr pra o Neurônio X e escrever algo que me deixasse mais contente e conseqüentemente, agradasse à você, leitor.

Ah, mais o desânimo não se apossou totalmente de mim. Vagando em pesamentos, eu sempre lembrava de lembrar qual seria o próximo assunto a ser escrito. Política, questões sociais, acontecimentos - não muito agradáveis - que vem ocorrendo aqui em Belém, foram temas que sempre estavam como "promessa" de serem escritas neste meu retorno.

Entretanto, nenhum desses temas mencionados anteriormente foi o escolhido.

Já está curioso? Espere só mais um pouquinho. O novo post já estar saindo do forno..heheheh

Abraços !!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

O sucesso dos outros te incomoda?


O maestro Tom Jobim afirmou certa vez “o sucesso no Brasil é ofensa pessoal”. Quando o sucesso e o prazer alheio incomodam e fazem alguém sofrer, isso tem nome - é inveja. As pessoas invejosas, por terem uma auto-estima baixa e uma autoconfiança pouco desenvolvida, ao se compararem com os outros, se sentem inferiores e passam a responsabilizá-los pela sua falta de oportunidades e de sucesso. O invejoso sente muita raiva e passa a criar uma rede de intrigas, tentando desqualificar, diminuir, criticar, puxar o tapete..enfim, tenta destruir o outro. Apesar de ser humano sentir inveja, ela pode atingir proporções difíceis de serem controlada como na história de bíblica de Caim que matou seu irmão Abel.

Não é simples e nem fácil perceber quando estamos convivendo com pessoas invejosas, pois elas costumam ser falsas e dissimuladas, armam situações para derrubar o outro sem aparecer, fazem intrigas envolvendo terceiros ou se escondem através do discurso da crítica construtiva. Por certo, em alguma esquina da vida você já cruzou com alguém assim, que por não ter amor próprio, se auto-rejeita, se sente inferior e se incomoda absurdamente com seu sucesso. Vivemos numa sociedade competitiva em que comparações são inevitáveis, onde o “ter sucesso” é cobrado por todos. Mas, o caminho do crescimento não é a inveja, e sim definir um objetivo e caminhar em sua direção.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Vamos queimar tudo, antes que "eles" a conquistem



A Amazônia é alvo de interesse internacional, não só pela biodiversidade, mas também pelo petróleo guardado em seu solo varonil (Besteira o que eu digo? Faça uma pesquisa minuciosa e saberá do que falo), e que todas as entidades filantrópicas, institutos e organizações não governamentais estão obviamente interessadao nessas riquezas.

E em contrapartida os americanos e ingleses em sua maioria, estão como suas botas de couro fino passeando sorrateiramente e livremente pelo solo da mãe gentil, como se fossem donos dessa região nortista.

E pior ainda é a negligência do governo brasileiro que faz vistas grossas pra essa eminente ocupação e nega o livre acesso de seus filhos por essas terras.

Certezas e provas já temos, resta a dúvida de quando perderemos definitivamente o controle da situação.

Claro que, com muito samba no pé enfiaremos o rabo entre as pernas e, bebendo coca-cola, louvaremos a proteção generosa dos capitalistas e empreendedores das nações "civilizadas", que cuidarão ecologicamente e economicamente da grandiosa floresta amazônica.


Acoorda Brasil XD

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Humor de segunda, terça....


As 10 melhores frases de HOMER SIMPSON!


1. A culpa é minha e eu coloco ela em quem eu quiser!


2. Por que as coisas que acontecem com gente burra ficam acontecendo comigo?


3. Cala a boca pensamento, ou eu te enfio uma faca!


4. Por que eu tive que nascer pai?


5. Eu não estava mentindo! Estava escrevendo ficção com a boca…
6. Tentar é o primeiro passo rumo ao fracasso!
7. Eu não sou normalmente alguém que ora, mas se você estiver aí em cima, por favor me salve, Superman!

8. Álcool… a causa e solução de todos os problemas.

9. Por favor, não me coma! Eu tenho mulher e filhos. Coma eles!

10. Se algo é difícil de fazer, então não vale a pena ser feito!
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO.